GOLPE QUE VEM SENDO PRATICADO NA OLX

Você quer vender um Iphone, ou outro smartphone na OLX? Conheça aqui o golpe mais comum praticado por golpistas dentro da OLX contra quem vende celulares nesta plataforma, e proteja-se dele.

A OLX é uma plataforma de vendas, muito conhecida no Brasil, excelente pela abrangência e pela quantidade de usuários que ela consegue atingir, e repassa uma certa segurança aos seus usuários, porém, mesmo assim compradores e vendedores devem tomar seus devidos cuidados. A própria OLX indica maneiras seguras de como prosseguir com a compra e venda, mas é sempre bom dar mais atenção além disso. 

Vou citar um golpe comum, um relato pessoal, que ocorreu quando anunciei um smartphone usado na plataforma da OLX. Aliás, repetiu-se o mesmo golpe, em três momentos distintos, no intervalo de um ano entre cada um. Em todos os anúncios eram iPhones os alvos: um iPhone 6S Plus em 2018, um iPhone 8 em 2019, e mais recentemente, um iPhone XR em 2020. E é tiro e queda: anunciou e o golpista já entra em contato querendo realizar a tal compra.

Eu não possuo mais os e-mails das trocas de mensagens onde o golpista tentou me ludibriar, mas vou explicar uma maneira como ele opera, para que você não caia neste golpe. Recentemente anunciei outro iPhone XR 64 GB de um amigo, esperando tentar registrar novamente o caso, porém não obtive sucesso. Mas como era o esperado, um golpista novamente entrou em contato comigo, e a própria plataforma da OLX bloqueou ele, devido a suspeitas de atividade do mesmo:

 

Na imagem acima mostra que a plataforma também possui certos mecanismos de defesa, para evitar suspeitas de fraudes.

O golpe ocorre da seguinte forma: o golpista se passa pelo eventual comprador, entra em contato geralmente em alguns minutos após a postagem do anúncio, através do próprio chat da OLX, e pede para continuar a conversa sobre a eventual compra, no Whatsapp. E em seguida, com a desculpa de “ter mais segurança” na compra, ele pede que o vendedor faça o mesmo anúncio deste produto no Mercado Livre para ele poder comprar por lá. Aparentemente parece algo lógico e seguro, devido a segurança e praticidade do Mercado Livre, mas é aí que ocorre o golpe.

Tendo já o seu Whatsapp, ele pede que você faça o anúncio do smartphone no site do Mercado Livre, e após isso, envie através do Whatsapp o link deste anúncio no Mercado Livre para ele poder efetuar a compra por lá. Então você vai lá no Mercado Livre, faz o anúncio corretamente e manda o link para o suposto comprador (o golpista). Então, após isso, vem a primeira parte do golpe: através da conversa por Whatsapp, o golpista envia um suposto print lá da compra do seu produto no Mercado Livre, alegando que precisa do seu e-mail para conseguir finalizar a compra do seu smartphone no seu anúncio do Mercado Livre. Na verdade é um print falso, onde supostamente o Mercado Livre estaria pedindo que o comprador informe o e-mail do vendedor, para poder efetuar a compra (infelizmente eu não possuo mais esse print, para postar aqui). Mas isso é um fato que chega a ser ridículo, pois as compras dentro do Mercado Livre ocorrem sem que o vendedor tenha contato algum com o comprador, até que a venda ocorra.

Este print falso, na verdade serve apenas como uma isca, para o golpista descobrir seu e-mail. Parece uma coisa sem sentido ele saber seu e-mail, parece algo banal, que você nem se preocuparia e informaria seu e-mail. Porém, neste momento, sabendo o seu e-mail, o golpista começa a segunda parte do golpe: o envio de mensagens falsas, se passando pelo Mercado Livre, avisando que a venda foi efetuada. Estes falsos e-mails tem até logotipos do Mercado Livre, com instruções de como efetuar a postagem do telefone que, supostamente, você acabou de vender. Eu não tenho aqui os e-mails que recebi dos golpistas, mas encontrei cópias parecidas em https://manualdousuario.net/no-mercado-livre-golpistas-enganam-vendedores-inexperientes-e-causam-prejuizo/

O golpista começa enviar vários e-mails falsos, se passando pelo Mercado Livre, que possuem vários erros, que podem ser percebidos por pessoas que conhecem como o Mercado Livre funciona. Na imagem acima inclusive mostra que a forma de envio é “SEDEX 10” (modalidade de entrega dos Correios até as 10 horas do dia seguinte à postagem), mas esta modalidade não existe no Mercado Livre.

Nestes falsos e-mails o golpista passa diversas informações que não existem no Mercado Livre:

– o vendedor (no caso, a vítima) ter que pagar a postagem, para posteriormente ser reembolsado pelo Mercado Livre. O correto é o Mercado Livre pagar a postagem, dando ao vendedor apenas o código de postagem para efetuar o envio pelos Correios.

– o e-mail pede para o vendedor (a vítima) repassar o código de postagem para ele, após a postagem nos Correios. O correto é o próprio Mercado Livre informar sobre a postagem ao comprador, sem a necessidade do vendedor fazer algo.

– o erro mais fácil de perceber é no suposto e-mail do Mercado Livre: o domínio do e-mail não é do Mercado Livre. Domínio é o nome que vem DEPOIS do “@” no endereço de e-mail. Veja na imagem abaixo, de um e-mail verdadeiro, no quadro destacado em vermelho, onde o nome do “Mercado Livre” vem DEPOIS do “@”:

E-MAIL FALSO UTILIZADO PELOS GOLPISTAS: No e-mail falso usado pelos golpistas, o nome que vem depois do “@” geralmente é “GMAIL”, ou seja, é uma simples conta grátis de e-mail feito por qualquer pessoa no site do Google. Então o problema, o engano, ocorre que o seu e-mail pode reconhecer como sendo e-mail de um suposto “Mercado Livre” na caixa de entrada (ou spam), o que acaba confundindo e enganando você. Abaixo é um exemplo de caixa de e-mail, e dentro do quadro  vermelho em destaque mostra o nome do remetente de cada mensagem:

O detalhe é que este nome é informado por quem criou o e-mail, ou seja, o golpista pode criar o e-mail que ele quiser e informar que ele se chama “Mercado Livre”. E assim, então, quando ele enviar um e-mail para você, sua caixa de e-mail vai interpretar que o “Mercado Livre” enviou uma mensagem para você. Para saber o remetente correto, você deve acessar o e-mail, e ler o nome que vem DEPOIS do “@”, que se for correto, deve terminar em “@mercadolivre.com”, “@mercadolivre.com.br” ou “@mercadolibre.com”. E quando fizer isso, por precaução, não clique em nenhum link ou imagem da mensagem para você não correr risco com algum tipo de vírus.

Portanto, tenha atenção para o nome que vier DEPOIS do “@”.  Os golpistas usam o nome do Mercado Livre geralmente ANTES do “@”, por exemplo, usando algo do tipo “[email protected]”.  Antes do “@” pode-se utilizar a palavra ou nome que desejar, desde que esteja disponível e ninguém tenha usado anteriormente que você. Neste caso, os golpistas usam qualquer palavra relacionada ao nome “Mercado Livre” para tentar enganar as vítimas.

Continuando o golpe, após a falsa compra, através de um falso e-mail, ou por whatsapp mesmo, o golpista pede que você pause o anúncio, dando alguma desculpa para que você não tenha problema na sua venda. Na verdade isso é para que você pause o anúncio, então ele sai de veiculação, e assim não ocorre o risco de alguma outra pessoa fazer uma compra verdadeira do telefone que você anunciou, e assim você perceba o golpe. O correto no Mercado Livre é, quando você cadastra algum produto para a venda, deve-se indicar a quantidade que você tem em estoque, para que assim, o próprio Mercado Livre pause o anúncio automaticamente quando você vender todos os seus produtos. Neste caso do golpe, como você vai vender apenas o celular, o estoque informado será de apenas uma unidade, e então, após a venda dele, o próprio Mercado Livre irá pausar o anúncio automaticamente, sem a necessidade de que você pause o anúncio.

A partir deste momento, se você ainda não percebeu o golpe, é a hora onde ocorre o prejuízo, ou seja, a parte final do golpe: com todas as falsas informações repassadas pelo golpista, você já estará fazendo a postagem do seu celular ao golpista.

Através do falso e-mail do Mercado Livre, o golpista chega até a passar o endereço de entrega do celular. Pesquisei os endereços através do Google Maps em duas vezes que tentaram me aplicar o golpe, e ocorreram dois casos:

  1. O endereço não existia. Neste caso, sabendo do código de rastreamento, e tendo a encomenda em seu nome, basta o golpista saber que a encomenda chegou no correio de sua cidade, e ir lá pessoalmente retirar.
  2. Noutro caso, o endereço existia. Aí, creio que o golpe ocorre na “cara dura” mesmo.

Nos dois casos, o endereço dos golpistas eram em cidades do estado de São Paulo. Como não sofri o golpe, acabei não fazendo denúncia na polícia.

Uma dica para não cair em golpe: mesmo que você receba algum suposto e-mail do Mercado Livre informando sobre a venda, o correto é você sempre entrar em sua conta original diretamente no site ou aplicativo do Mercado Livre e verificar através de lá, se realmente ocorreu a venda, pois lá será o meio oficial e correto de verificar qualquer atividade sua na plataforma. Na primeira vez que eu recebi este golpe, eu recebi um e-mail falso informando a venda, e foi após entrar na minha conta do Mercado Livre onde eu percebi que não havia compra nenhuma do iPhone que o golpista supostamente estava comprando.

A dica primordial é: nunca passe dados, senhas e códigos para terceiros através de internet, Whatsapp ou redes sociais, pois o comum é golpista não saber nada de seus dados, e para poder aplicar o golpe, geralmente ele precisa de suas informações para isso, e ele sempre inventa alguma “desculpa” para convencer você a repassar seus dados.

NUNCA REPASSE SEUS DADOS NA INTERNET, A NÃO SER QUE VOCÊ ESTEJA FAZENDO ALGUM CADASTRO EM UM SITE DE CONFIANÇA, E FORA ISSO, NUNCA REPASSE NADA!!!

Esta matéria é parte integrante de outra matéria sobre vários golpes praticados na internet, que pode ser lida na íntegra aqui: https://teucelular.com.br/index.php/2020/11/02/com-a-black-friday-chegando-proteja-se-de-golpes-aplicados-pela-internet/

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.